Sep

20

Os peixes é que comem tudo o que se lhes atira para o aquário.

by Cláudia Gonçalves

Epá, a mim pouco me importa a opinião dos outros, quando gosto de alguma coisa é porque me dá alguma forma de prazer ou porque me desperta algum interesse. E eu gosto de ler o blog da Margarida Rebelo Pinto. Às vezes concordo, outras vezes não, mas acho muito feliz algumas observações dela. Esta então adorei…

Recomendo lerem o artigo na integra, cujo tema principal é a amizade entre sexos mas eu sublinho acima de tudo esta parte:

“E agora a pergunta que se desenha na cabeça de todos os leitores é: como se lida com a atracção física quase sempre inerente a uma relação onde existem pontos de vista em comum, proximidade e intimidade?

A resposta é simples: com bom senso e disciplina. Os peixes é que comem tudo o que se lhes atira para o aquário. Segundo a teoria da evolução de Darwin, já largámos as escamas há demasiado tempo para sermos assim tão básicos. Se a regra do preto no branco é quebrada, então não estamos a falar de uma verdadeira amizade.”

Eu concordo com a Margarida, o meu irmão é o meu melhor amigo. Sem dúvida, meu companheiro de loucuras e aventuras, temos muita coisa em comum, somos maluquinhos de todos, mas também somos muito diferentes…

Depois tenho meu melhor amigo de muito tempo, o nosso bebé Nuno e o Ricardo! Todos ao mesmo nível, todos diferentes… Estes estão no topo. Sou sincera, só muito tarde comecei a ter um grupo numeroso de amigas com quem falasse sobre tudo e me sentisse à vontade. Sempre me dei melhor com rapazes talvez pela enorme quantidade de primos com quem me sempre dei muito bem. Com o meu Filipe mantenho ainda uma relação fenomenal e indescritivel. Morando em países diferentes e já tivémos longe um do outro mais de 6800 km, estamos sempre um para o outro. Não precisamos de palavras, bastam olhares… Não sei se pelas loucuras de praia nas férias, ou as noites mal dormidas com as trovoadas para contar e calcular os km de distância a que o trovoão estaria! Sim, é possível criarem-se laços de amizade assexuada entre pessoas de sexo diferente.

Mas eu saliento estas palavras da Margarida (perdoe-me ela a informalidade, mas já somos todos grandinhos e não acredito que ela leia o meu blog como eu leio o dela), por outros motivos. Os peixes é que comem tudo o que se lhes aparece à frente, nós, seres humanos racionais e de amor próprio elevado deviamos manter isto em mente. Sobretudo quando nos sentimos mais fragilizados e carentes.

A pessoa que queremos ao nosso lado NÂO pode, NEM DEVE ser qualquer um! Não há homens perfeitos caramba, isso concordo mas também não vamos alinhar no primeiro que surja e que não dê trabalho! É como andar a procura de trabalho no jornal “O Crime”! Se queres chegar a consultor financeiro procuras no “Jornal de Negócios”!

Cruel? Carambas eu sou apologista que o amor não tem fronteiras, não escolhe idades, peso ou cor de cabelo e de pele, mas o amor não deixa de ter juízo e o mundo não é cor de rosa. O amor é complicado e dá trabalho, se não facilitarmos as coisas e elimarnos agruras dos factores externos então a vida ainda fica mais complicada…

Graças a Deus que uma característica da capacidade humana é o discernimento e livre arbitrio, daí que eu gosto de poder usar o meu poder de escolha. O segredo está em também não ser demasiado esquisita.

Artigo na Integra

http://sol.sapo.pt/Blogs/margaridarebelopinto/default.aspx

2 Responses to “Os peixes é que comem tudo o que se lhes atira para o aquário.”

  1. Dário Says:

    Pareces um pouco revoltada, os “outros” do 1o parágrafo andam a pressionar-te para namorar (ou casar)?

    Bela citação da Margarida;)

    Quem sabe melhor o que é bom para ti, és tu própria.

  2. Cláudia Gonçalves Says:

    Se fosse para namorar estava eu bem, era casar e já grávida para não perder tempo…Antigamente era mau casar-se prenha, agora é antes que se mudem de ideias, vai-se grávida! A minha família é do catano… Não estou revoltada mas é conversa que já cansa…Blec blec…Querem-me fazer sentir velha…;)

Leave a Reply